quinta-feira, 6 de maio de 2010

Da intradução II

Stilleven met boeken en een viool, Jan Davidz. de Heem

a Talita Prates 

Sentimentos,
nem os menos nebulentos são traduzíveis
Ou melhor, o são,
porém, como tudo que se transpõe de uma língua para outra,
eis um pecado,
ei-la a traição.


Clique para conferir «Da intradução» de Talita Prates.
.

7 comentários:

  1. melhor a gente se trair com rimas e versos

    ResponderExcluir
  2. Ah, Caio, o que dizer?
    De intradução em intradução,
    vamos nos entendendo,
    minimamente...

    Obrigada, viu?! Adorei!

    Um bjo,

    Talita.

    ResponderExcluir
  3. Sentimento e palavra:
    uma antítese?
    ...
    ...
    ...

    Lindo diálogo, Caio!

    Beijo,
    doce de lira

    ResponderExcluir
  4. Não há traição, vale a intenção.

    ResponderExcluir
  5. sem traição não haveria outros filhos de Adão e Eva e o mundo se acabaria por ali mesmo

    ResponderExcluir