segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Árvore de natal

 Christmas Tree, Gene Davis

Me lembro hoje do Acaso agricultor,
cuidadosa e pretensiosamente,
deitando uma certa semente
em outrora solo infecundo de amor.

De onde brotou rica coisa arbórea
e me nasce essa coisa corpórea
a que eu agora apelido saudade.
Sinto-a no peito com acuidade.

De seus muitos galhos verdes caem
uns poucos frutos suaves como algodão,
à regência de um arranjo de acordeão.

Melancólicas notas melódicas
compondo emoções metamórficas
de um pretérito e potencial natal.

4 comentários:

  1. Galhos verdes que conseguem ser maduros.
    Esta é a grande obra prima da natureza.
    e o agricultor Acaso, este é realmente um sábio. Fecundar o infecundo é de uma grandeza que foge ao palpável.

    ResponderExcluir
  2. Um soneto de saudade, no Natal.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. e a saudade como algodão neste lindo poema acalma meu coração.
    .

    ResponderExcluir